top of page

Grupo TrilhaZ mostra que é possível aliar pesquisa e extensão universitária

Com o intuito de divulgar os resultados científicos obtidos pelo TrilhaZ, somente no primeiro semestre de 2023, dois trabalhos foram publicados em revistas acadêmicas e outros dois apresentados em congressos acadêmicos.


Intitulado “Memórias ambientais e turismo no sul de Minas Gerais: contribuições para gestão de territórios rurais”, o primeiro artigo é referente aos trabalhos realizados no primeiro ano do projeto, e foi publicado na revista "Interações". O objetivo do trabalho foi analisar de que forma o resgate de memórias associadas ao meio ambiente e turismo pode lançar pistas e auxiliar na condução de trabalhos dos gestores ligados ao desenvolvimento e à conservação de territórios rurais.


Para conhecer os atributos socioambientais, culturais e históricos inerentes ao caso analisado, foi feita pesquisa bibliográfica entre os anos de 2019 e 2021, em arquivos pessoais e entrevistas semiestruturadas com moradores locais e sujeitos relacionados diretamente à temática investigada. O artigo completo se encontra disponível em: https://doi.org/10.20435/inter.v24i1.3665.


O segundo artigo “Caracterização ambiental e simbiótica entre plantas e fungos micorrízicos da região do Pico dos Marins, Serra da Mantiqueira, SP/MG” faz referência aos estudos realizados pela equipe TrilhaZ no maciço rochoso do Pico dos Marins, em 2022. O estudo envolveu diversos profissionais e possui relevância científica por trazer informações inéditas sobre uma região bastante frequentada por montanhistas de todo o país. De caráter exploratório, o trabalho teve por objetivo realizar a caracterização ambiental da região, abordando aspectos pedológico, hidrológico, geológico, flora, declividade e clima, por meio do uso de ferramentas ofertadas pelo software QGIS, além da caracterização simbiótica entre plantas e fungos micorrízicos arbusculares, coletadas ao longo de uma trilha turística ao Pico dos Marins.


Os exemplares florísticos foram encaminhados para o laboratório de microbiologia do Centro de Estudos de Qualidade Ambiental da Unifei, e submetidos à determinação da intensidade e porcentagem de colonização micorrízica nas raízes, comprimento de micélio extrarradicular total e número total de esporos na rizosfera dos indivíduos vegetais. Mapas temáticos da região foram criados e propostos, os quais poderão contribuir para o desenvolvimento do turismo local, com utilização por guias, agências de turismo e tomadores de decisão ambiental. Para mais detalhes acesse o artigo completo em: https://doi.org/10.26848/rbgf.v16.3.p1531-1551.


Com relação à participação em eventos científicos, a equipe TrilhaZ teve dois trabalhos apresentados no VI Congresso de Extensão da Asociación de Universidades Grupo Montevideo (AUGM): Democratização e Extensão Universitária, realizado na cidae de Campinas (SP). Ambos os trabalhos apresentados são frutos das atividades realizadas pela equipe durante esses 3 anos iniciais de ações extensionistas.


Na foto, o estudante de Biologia Jean Stefano, responsável pela comunicação oral à distância do trabalho “Trilha ecológica na região do Pico dos Marins(SP/MG) como ferramenta de atividades de extensão universitária”.


O segundo trabalho, nomeado “Coletivo TrilhaZ: cooptando saberes educativos socioambientais e culturais para a comunidade”, foi apresentado presencialmente pela professora da Unesp Marcela Agudo, integrante do grupo.


Ambas as apresentações, com suas respectivas co-autorias, podem ser consultadas aqui. O TrilhaZ preza pela indissociabilidade entre ações extensionistas e atividades de pesquisa, tal como sugere a Política Nacional de Extensão Universitária. Além de muita atividade outdoor e diálogo com diferentes setores da sociedade, testes de laboratório, reuniões de orientação, tratamento de dados e escrita de textos científicos, para o grupo, são pratos do dia!


Por: Thaís Cortez

Revisão: Paulo Nunes


33 visualizações0 comentário

ความคิดเห็น


bottom of page